Conto: O Mercador de Sonhos

Conto: O Mercador de Sonhos
Autor: M. M. Schweitzer
Sinopse: Smashwords
Série: Antologias de Morserus 
Ano: 2015
Gênero: Fantasia; Reflexão;
Avaliação: 

Olá pessoal! Hoje vim trazer a vocês um conto que mexe muito com o interior e com nosso modo de pensar!

 Bem, esse conto está disponível gratuitamente on-line no site da série ou na iBooks Store (iPhone, iPad e iPod).
 Estes dias estava procurando algo pra ler, uma leitura suave, que não tinha de pensar muito e curta, então achei este conto gratuito na iBooks Store e me interessei bastante. Vai narrar a história do porco Ollie que é maltratado e aparentemente, tem uma vida infeliz, quando em um dia ele sonha com o mercador de sonhos e descobre que pode mudar o mundo, isso é o máximo que posso dizer da história, pois é curta e qualquer detalhe a mais poderia ser considerado um Spoiler.

 Sobre o conto, é complicado me expressar, ele trata de assuntos bem delicados e complicados, o mundo criado pelo autor é fantástico e o modo tão inteligente e seguro de como os assuntos foram tratados também são. Tudo, desde os personagens, até o modo de pensar da trama são cativantes, se fosse um livro, compraria no dia de lançamento.
 Como nem tudo na vida são flores, como o conto mesmo prova, tem algumas coisas que me incomodaram, como o fato de as vezes me perder no meio de um diálogo ou algumas coisas que não consegui entender muito bem.
 O conto trata, em parte, de autoconhecimento, de coisas que damos valor em nossas vidas, que se prestarmos bem atenção, não são dignas, ou de arrependimentos que tivemos e que nos afetaram.

 A escrita em si é bem envolvente e bem feita, o autor é extremamente convincente de seu mundo e inteligente, se você gosta de contos e de pensar, recomendo bem este livro, mas se você acha que uma leitura não acrescenta, também lhe recomendo, pois com certeza vai mudar a sua opinião. 
 
 Sei que esta resenha é curta, mas se falar algo a mais, vou acabar dando spoiler, e seriamente, recomendo esta leitura a todos.

0 comentários:

Deixe seu comentário